Ciranda iniciada por  Bernardino Matos e Lúcio Reis.
Coordenação: Raquel Caminha Matos

(Lindinha)
 

 

 

Prêmio de Participação:

 

 


 
Participantes:

Bernardino Matos
Lúcio Reis
Maria Regina Moura Ribeiro
Mário Osny Rosa
Jopyce Lu@zul
 Socorrinha Castro
Maria das Graças
 Shirley Pinheiro
Rivkah Cohen
Catherine Roosenfild
 Henrique Ramalho
Pedro Valdoy
Luis ( cacau)
Raquel Caminha Matos (Lindinha)
Luíza Soares Benício de Moraes
Sandra Fayad
 Renate Emanuele
Carlos Magno Ferreira Campos
Reinadi Rodrigues Sampaio (florbellaba)
 Vanda Dias da Cruz
Carmen Flores
Regina Bertoccelli
Soaroir Maria de Campos
Joaquim Sustelo
 Ilka Bosse
Neida Wobeto
 Denise Aidar Warnecke
Tarcísio R. Costa
 susana petroglia kocalczuk
 miriam
Alfredo dos Santos Mendes
Lúcia - lms
Chicailheu
 Antonio Cícero da Silva
 *Emiele*
 Manuel Jorge Monteiro de Lima
 faffi
 Cecília Rodrigues     
Rosa Silva ("Azoriana")
 Alceu Sebastião Costa
 MEG KLOPPER
 Noris Roberts
 Candy Saad
 Leda Galvão
Malu Mourão
Sandra Lúcia Ceccon Perazzo
 FÁTIMA VENUTTI
 Maria Loussa
 Marcial Salaverry
Gildete Vieira
Socorro Lima Dantas

Vera Salbego
 Mercília Rodrigues
Sylvia Narriman
Sueli do Espírito Santo
Sá de Freitas
 Célia Jardim
Rogério Martins Simões
Glória Febre
 Iza Mota
 Rosi Marques

 José Ernesto Ferraresso
 Gui Oliva
Regina Coeli Rebelo Rocha
 neidehanf
 Tere Penhabe
..*..


SOU!
Bernardino Matos


Sou portador da doença,
chamada calor humano,
que provoca desengano,
e asfixia qualquer crença.
 
Nasci em pleno sertão,
o sol aquecendo o quengo,
e através do mamulengo,
entendi minha emoção.
 
Eu sou o eco da fome,
o traçado da tristeza,
gosto de sentar na mesa,
de quem só amor consome.
 
Na escola de Karatê,
me formei em ousadia,
eu golpeio a vilania,
amorteço o padecer.

Eu adoro a transparência,
detesto o preconceito,
defendo o que é direito,
não sei viver sem decência.

 Fujo da hipocrisia,
no sertão tudo é real,
viver não é casual,
o amor tudo alivia.

Eu adoro o meu presente,
não cavouco o meu passado,
jamais procurei culpado,
eu vivo intensamente.

Se errei, se acertei,
o importante é que vivi,
e se por amor sofri,
por ele, então, morrerei.

Sou, um ser sobrevivente,
os amigos, meu tesouro,
o que há de duradouro,
é o que minh´alma sente.

Fortaleza, 25/02/07
Formatação de Ilze Soares.
...*...


Sou
Lúcio Reis

Vim para mundo nas Gerais
Caeté é meu berço, uai!
Na minha formação humilde
Via meu pai todo dia na lide
Funcionário público
Aos desaforos não tinha revide
Minha  mãe da prole de sete
Cuidava com mãos de educar
Coração para orientar
Para que nenhum filho bandido virar
A humildade e a pobreza
Todos os dias em nosso lar
Lá estava com certeza
Não deixava para isso
Faltar a presença de Deus e Maria
Como Divindade a realeza
Foram muitos anos de dureza
Dificuldades e tristeza
Mas a benção de Jesus
Mostrou-me e eu acreditei na verdade
Que só o trabalho constrói
Pois a covarde desonestidade
Apenas os valores morais destrói
Momentaneamente!
Pois o mal não prevalece eternamente
Eu sabia prezado Bernardino
Que entre mim e ti devia haver
não só e apenas o gosto pelo escrever
Mas trilhas comuns que em nossas mãos
colocaram o lápis ou caneta a fim de, por nossas criações
pudéssemos doar um pouco de ação para melhoria deste sofrido planeta
Concordo que os nossos tesouros jamais serão levados, mesmo que cada um de nós ao partir, a lembrança por meio da saudade não deixará dessa amizade ninguém nos esquecer pois a verdade é eterna
No Pará vim parar e em Belém morar
Minha genética aqui vou deixar
Pois com a paraense foi o nosso procriar
Não tenho tesouros materiais
Creio que tenho os morais
Pois esses meus filhos testemunham
Em nossos procedimentos  e nas lições de exemplos que a eles e com eles vivenciamos
Tenho a sensação de que ao Senhor
Não desapontei totalmente
Pois o que ele pregou no deserto ou onde esteve procurei seguir quase que integralmente
E se não foi 100%, claro como você também sou pessoa um ser pecador e portanto gente!
Lúcio Reis
25/02/07
Belém do Pará
...*...


EU SOU
Maria Regina Moura Ribeiro
São Paulo, 26 de fevereiro de 2007

Eu sou uma pessoa comum
Adoro outras pessoas, não importa
raça, sexo ou cor.
Mas tem que haver calor humano,
para se gostar de qualquer ser.

Nasci nos pampas gaúchos,
o sol tentando aquecer o vento,
embora sem conseguir.
Eu sou prenda gaúcha,
não lido bem com a tristeza,
pois o riso é meu companheiro,
e dou gargalhadas o ano inteiro.

Nas escolas sempre às voltas
com problemas de sotaque,
não me safei do preconceito.
Mas tenho certeza que é meu direito
falar de qualquer jeito.

Eu sou honesta demais,
daquelas que tudo falam.
Isto não se deve fazer jamais
pois as pessoas não entendem
e chega, já sofri demais.

Eu adoro a minha vida presente,
fiz tudo que quis e o que não fiz
foi porque Deus não quis.
Agora vivo intensamente e feliz.
...*...


SOU
 Mário Osny Rosa
 
Sou amante da poesia
De uma poesia critica
Mas sempre construtiva
Tudo isso se explica
 
Escrevo a atualidade
Sem qualquer temeridade
Mostrando a realidade
Revendo a secularidade
 
Defensor da cultura
Num momento temeroso
De toda sua estrutura
Com um cidadão corajoso
 
Quero esquecer o passado
Esse tempo não volta mais
Do que não foi realizado
Como também os seus aís
 
Defensor da educação
Com pessoas preparadas
Tudo isso é sedução
Seguindo as suas pegadas
 
Ser dono de toda a tecnologia
Acredite no brasileiro
A cabeça do homem que cria
Esse povo é faceiro
 
São José/SC, 24de fevereiro de 2.007.
morja@intergate.com.br
www.mario.poetasadvogados.com.br
...*...


Sou a Lu@zul...
Joyce -Lu@zul
                                                              
Chamam-me a poeta Lu@zul
Deslizo nas asas do vento sul
Sou Poeta do Mundo e da PAZ
Poesia! Alimento que me refaz
 
Poetizo Natureza e Harmonia
Minhas bandeiras do dia-a-dia
Canto a proteção dos animais
E das matas... Derrubá-las jamais!
 
A lua é a minha eterna inspiração
Ela sabe quem guardo no coração
Aprecio extasiada um pôr-do-sol
Amo canto de quero-quero no arrebol
 
Alço vôos com a pureza do pardal
Usando minha a liberdade total!
Contabilizo perdas e lucros da vida
Constato... Fui amada e sou querida
 
Sou uma Fênix... Ressurgi da cinza
Sou mulher que planeja e realiza
Fui Mulher de Atenas e Madre Diretora
 Hoje liberta prefiro ser declamadora
 
Vivo meus momentos com euforia
Olho o mar e canto minha poesia
Se minha alma chora... Eu sorrio
Sepulto mágoas no mar ou no rio
 
Visto a roupa chamada felicidade
Embora use adornos da saudade
Sigo a estrada da vida esperando
Encontrar alguém e seguir amando.
 
Porto Alegre, 27 de fevereiro de 2007 02h35min.
...*...


* SOU A FLOR DO AMOR *
Socorrinha Castro / florzinha
João Pessoa - PB  04/03/07

Nascida em meio à pobreza
do sertão do Ceará,
sou flor de amor e beleza
e,não me canso de amar.

Flor de pleno sertão,
resisto às adversidades,
e,nas pétalas do meu coração
orvalho paz e bondade.

Sou amante da poesia
e,também amo os meus amigos,
eles são minha alegria
são os versos onde me abrigo!!!
 
...*...


  Sou?
Maria das Graças.

Sou quem sou!
Pra não dizer quem sou;
Sou mineira,uai!
Não importa quem sou.
A mim ,mais importa ser:
-SER gente.
-SER boa.
-SER honesta.
-SER batalhadora.
-SER dinâmica.
-SER sincera.
-SER digna.
-SER mestra.
-SER mãe.
Mãe amorosa, mãe rígida ,mãe feroz mas mãe!
Por isso quero sempre ser.
E nunca falar que sou...!
gracinha henriques
04/03/07
...*...
 

 

SOU
Schyrlei Pinheiro

Sou fragmento do ontem,
a incógnita do hoje,
partícula do amanhã,
procurando no tempo, 
entre as  sombras,
as metades do tudo
 que em algum lugar ficou,
esperando  que as encontre
nos sentidos,
no sentir,
no principio,
nos entremeios
de um começo,
ou recomeço
 que não tem 
o seu fim.
Reg 226 053
...*...


Sou
Rivkah Cohen

Sou areia
que pelo vento inspirada,
espargi.
Sou pássaro que em revoada,
me distanciei,
das fileiras saí..
Sou,
por mais que não queira,
como o sol
que ardentemente tua pele queima,
mas sem querer te ferir.
Sei que tenho esses componentes,
pois aqui nasci.
Tenho garra,
sempre serei a primeira,
enquanto tentam fugir.
Sei quem sou
e qual chuva esparsa
volto a ser areia
que um dia se levantou, se fez poeira
e saiu por aí..
rivkahcohen
...*...


Sou
Catherine Roosenfild

Não sei exatamente por onde vou,
mas sei quem sou,
Sou filha da terra,
Não sou prometida,
 mas sou comprometida...
O vento não leva minha sombra,
mas ronda minh'alma,
Meu pranto se acalma...
Nada sou...
Mas igual aos outros não sou!
Com o sol na face,
sigo sem disfarces,
sem medo do embate,
Percorrendo caminhos áridos,
posso ser primeira,
posso ser última,
mas sempre serei eu!
Sem medo do tempo,
sem medo da dor...
Nunca me deixarei cair...
E assim vou indo por aí...
Catherine Roosenfild
...*...


Sim,
sou areia...
base das palmeiras,
batida pelas infindáveis azuis ondas,
a que o mar carrega e  que pisas,
no deleite,rindo da pegada.
A de ampulheta,
mostrando o tempo que me resta
e o que vivi;
a trazida pelo suão,
vento com aroma de deserto,
humedecendo teus olhos um  ínfimo grão,
que ou sacodes
ou vagarosamente e sonhadora,
desliza entre os dedos afinal um grão
igual a tantos outros milhões iguais...
e diferente de todos,se na tua mão
e no teu olhar...
Henrique Ramalho
...*...


Sou
Pedro Valdoy

Sou um ser perdido
no meio do deserto
embalado
por cantos israelitas

Sou irmão
de todos os filhos de Deus
que amam a Paz
a Harmonia
a Dignidade humana

Sou um sorriso
para o futuro da humanidade
que cresce com as crianças
na felicidade e na sua protecção

Beijo as flores
no seu encanto
no seu aroma
embaladas pelo vento

Sou um poeta
que se sente feliz
na companhia da amizade
de RivkahKohen

Com o sorriso
 para uma humanidade
que se quer próspera
neste mundo
por vezes de violência

Cada grão de terra
no deserto
pacífico
poderá ser mais um poema.

Pedro Valdoy

Lisboa Fevereiro 2007
...*...


Sou...
Luis ( cacau) 
 
Sou como um rio de águas turvas
Correndo ao léu sobre as agruras
Lavando o fel da margem impura
Do vício louco da paixão
 
Sou luz do Sol mirando a Lua
Que tão tímida se insinua
E reflete o brilho que atenua
O lado obscuro do coração
 
Sou chuva forte lavando a rua
Por onde andas à luz da Lua
Buscando rimas nas esquinas duras
De tua vida louca e sem razão
 
Sou vendaval soprando runas
Dos teus segredos e letras nuas
Diluindo tuas verdades cruas
Num tom harmônico de diapasão
 
Sou teus anseios, tuas loucuras
Teu lado místico, tua caricatura
O teu Narciso na fonte lúdica
O amor que buscas, sou o teu perdão
Luiz(cacau)
...*...


EU SOU ASSIM
Raquel Caminha Matos
(Lindinha)
 
Eu sou menina, moça e mulher.
Sou arteira, mas com moderação.
Sou uma poetisa romântica.
Quando sento para escrever,
sou amor, sou feitiço, sou cigana...
Mas sou mulher!
Imagino sentada nas asas de um condor,
sobrevoando os verdes mares do meu Ceará,
vejo as ondas quebrando, as gaivotas
cantando quase pousando nas embarcações,
 entoando seu canto de amor.
Fora dos meus sonhos românticos,
sento na minha varanda,
olho em direção ao céu e faço
minhas reflexões, peço perdão
se errei por pensamentos ou julgamentos.
Entrego-me a Deus,
não peço nada, ofereço apenas a Ele
 os meus problemas...
Ele sabe mais do que eu, resolvê-los.
Eu poetisa sofro ao ler um poema que parece uma
súplica, fico imaginando o espírito do poeta (a),
que naquele momento está escrevendo
 desabafando suas dores.
Pergunto-me, quem não tem problemas!
Todos têm! Uns mais, outros menos!
Afirmo que o importante é ser
o que nós queremos ser.
Livre, amável, saber dosar, saber
ser amigos, saber perdoar.
Eu já sofri muito e nem por isso sou amarga.
Muitas vezes eu aqui rezando, fazendo orações
por meus amigos ou familiares e chorando
por meus problemas particulares.
Eu sou assim...
Sou internauta, ainda aprendiz.
Sou menina, sou mulher, sou esposa, sou mãe.
Sou brasileira, mas sou feliz!
...*...


Quem Sou?
Sou Luíza
 
Sou simpática
Mulé chata
Exigente!

Sou amante
 Sou amada
Sou carente
Apaixonada!
 
Sou amiga
Compreensiva
Busco fugir de intriga
Prefiro perder na briga!
 
Sou cearense
De nascença
De formação
De herança!
 
Sou emigrante
Pernambuquei!
Aqui trabalhei, me doei,
 Multipliquei!
 
E ainda quero “ser”
Não acho que terminei
De ser gente!
Me doar!
Errar muito
E acertar !...
Luíza Soares Benício de Moraes
Recife 04.03.2007
...*...


QUEM SOU
Sandra Fayad

Sou filha de parto normal
sob árvores secas contorcidas.
Cortaram meu cordão umbilical
com duras folhas verdes afiadas
pelo sol do planalto central.

Cresci olhando de perto o céu
repleto de pássaros em revoada
formando aqui e ali um anel
com seu estridente piar em coral.
Colhi frutos dos pés nas estações
sem subir ao último degrau.
Deitei-me na relva macia do cerrado
E sonhei com um planeta fraternal.

Corri mundo a partir do meu chão
à procura de algo fenomenal.
Encontrei as pedras de Atenas
Caminhei ao longo do litoral
Vi cachoeiras e também os Andes
Descortinando lindo visual.

Voei sobre o Pacífico e o Atlântico
De barco passei de um ao outro lado
Ouvi Jazz, Country e Som Romântico
Assisti muito evento e festival
Mas voltei sempre ao meu rincão
onde finquei o referencial.

Aqui onde abri e vou fechar os olhos
Dei aos pés seus primeiros passos
Senti o coração de amor inundar...
Seus batimentos e descompassos...
"Garrei" no trabalho pra me sustentar
Vivi meus melhores momentos
E os piores também...
Criei vínculos indissolúveis,
parâmetros, objetivos,  fundamentos.
E decidi que a cor da felicidade
Tem os tons multicores destes ventos
...*...


QUEM SOU
Renate Emanuele
 
Sou a rosa que plantei um dia
Sou a filha que de mim brotou
Sou a escrita dentro da poesia
A canção que por aqui passou
A obra que tua casa ornamenta
Sou a tinta que na tela rebusquei
Sou a palavra que em ti fomenta
E a morada que por aqui deixei
Sou o carinho do vento que toca
Sou o agasalho para teu inverno
Sou a alegria que o riso provoca
Sou em teu rosto um beijo terno
Sou o trabalho que ensinei e fiz
Esperança de um futuro risonho
Deste futuro eu sou ainda a raiz
Nas lides de meu próprio sonho
Sou um átomo girando no espaço
Sou o amor em forma de emoção
Sou enfim o aperto de um abraço
Sou alguém dentro do teu coração
...*...


EU... Um “SER” Em Existência
 
Um ser em transformação
Que passa pela tua mão
Fizeste-me sair da solidão
Que adora ser entendido
Ser o escolhido
Com os medos comuns
Que qualquer mortal tem
Mas sempre olhando o lado humano
O coração na mão
O pensamento distante
O olhar penetrante
Sempre voltado para o infinito
Sincero e não errante,
Em busca da imagem da mulher distante
Homem, quase maduro,
Não no amor,
Mas, no sofrimento,
Na dor...
Sentido nos sentimentos
Ausente nos pensamentos
Olhando o futuro
Com a mágoa do passado
desesperado
Mal interpretado!!
Hoje, acarinhado... AMADO
Por vezes até demais,
Não porque o amor seja em demasia
Nunca o é
Mas por não estar à altura desse amor
Amor de Mãe... Amor de Pai
Amor de quem ama sem espera
Mas desespera
Por ter o SER
O ser de saber
Sem deixar de SER
O que seu ser veio como ser
No aprender
No conhecer... No existir
Ate talvez no final do seu próprio ser,
Do seu viver
Sem poder escolher
    O que deveria ser!!!!
 
    Carlos Magno Ferreira Campos (CAMAFECA).
    Cruz das Almas, 22/01/227.
...*...


SOU PARTE DE TI... ÉS PARTE DE MIM
 
Sou parte de ti
Quando percebo tua presença.
És parte de mim,
Quando juntos caminhamos
Rumo ao futuro
Que nos espera.
Sou parte de ti,
Quando olho nos teus olhos
E neles vejo refletida minha imagem
Que se confunde
Entre o meu olhar e o teu,
Pois, nos meus olhos,
Tua imagem também se forma.
Sou parte de ti,
Quando nossos corpos
Se fundem no amor
Contrabalançando
Toda diferença,
Num encaixe perfeito,
Entre o real e o imaginário.
És parte de mim,
Quando sinto
Teu corpo sobre o meu
E não percebemos
Onde começa
A parte de ti que sou
Ou a parte de mim que tu és.
Neste momento,
Somos um só.
 Reinadi Rodrigues Sampaio (florbellaba)
Um Lugar no Universo, 05/02/2007.
...*...


SOU..!!

Sou a chuva que, molha a terra para renovação da natureza,
Sou o sol que, ilumina os dias e, clareia a nossa estrada,
Sou a lua para que, os namorados desfrutem da beleza da noite,
Sou a cachoeira que, com suas águas límpidas, molha meu corpo,
renovando minhas forças,
Sou o mar, onde os navegantes rumam sem destino certo,
Sou a brisa leve beijando o rosto dos amantes,
Sou o vento suave, amenizando o calor dos errantes,
Sou a terra, fecundando os grãos que nos servirão de alimentos,
Sou as flores que enfeitam os jardins e perfumam o ar, com seus
diversos aromas,
Sou os pássaros que, com seu canto, encantam nossa audição,
tornando nossa vida menos sofrida,
Enfim, sou criação divina, de passagem pelo mundo,
até que minha missão esteja cumprida,
para, só então, partir para outra dimensão, rumo ao infinito.
 
Vanda Dias da Cruz
 

...*...



Soy hija de Dios,
él hizo de mí un poema,
un poema  que inmortalizó
en las letras del poeta.

Soy figura principal
en lienzos de pintores,
y me adorna con las flores
más hermosas del portal.

Soy atención de todos,
soy desvelo, soy anhelos,
soy la estrella y destellos
de quien se mira en mis ojos.

Soy latidos, soy pasión,
soy tristeza y adiós,
soy la sombra que sigue
aquel que dice, soy yo...

La mujer de sus sueños,
la que quema sus entrañas,
para quien guarda los besos
cuando logre conquistarla.

Soy santa, soy mundana,
soy alegría, soy malvada.
pero soy la primera mujer.
que un arquitecto formara...
Carmen Flores
mar/ 2007
...*...


QUEM SOU EU?
Regina Bertoccelli

Sou pedra bruta que às margens do
rio da vida tem sua morada
Sigo a correnteza respeitando
a direção do vento
A cada queda vou lapidando minhas
múltiplas facetas
Imperfeita ainda estou
Navego todos os rios e afluentes
Mergulho em cascatas,
banho meus sonhos em doces cachoeiras
Passeio com a chuva,
sofro nas enxurradas,
entristeço-me nas enchentes
Buscando meu crescimento e aprimoramento
espiritual, sigo o curso natural da vida
Assim sou eu, uma eterna aprendiz da vida
..*..


MWANA
 
Hoje eu sou de África
Mãe de leite, mãe de fé
mulher
Faminta mãe de filhos doentes
carente
Emburcada, descalça, empoeirada
violentada
De abocados  filhos varão
o Corão
Refugiada de lugar nenhum
Cafarnaum
Com as forças  d’alquiler
sou mulher
Brava mulher africana
Eu sou mwana.
 
Soaroir Maria de Campos   3/3/2007
 
homenagem ao Dia Internacional da Mulher
..*..


EU SOU

Eu sou entre milhões um grão de areia
Deixado num deserto que palpita;
Onde algum vento impele à epopeia
De quem quer vencer sempre - e acredita!

Aquele que implantou em sua ideia
De cada vez que a aragem o levita,
Que pode edificar a grande Aldeia
De Amor e de Amizade - a mais bonita!

E tenta sob o sopro, que é alento
Formar com outros grãos algum cimento
Aliciando as pedras, onde passa...

Deixar esse deserto onde se encontra...
Que por ser escuro e triste é fraca montra
E há grãos que são motivo de arruaça.

Joaquim Sustelo
..*..


SOU MULHER
 
Meu nome?
Será que importa?
Apenas sou mulher
Sou dedicação
Até sou doação
Além de ser filha
Namorada também sou
Noiva... Esposa ou irmã
Não importa a interpretação
Suporte familiar
Alicerce nas horas certas
Piloto de fogão
Conhecedora de desafios
Também da solidão.
 
Nunca me entristeço
Ao deparar com a ingratidão
Sou tudo isso...
Não escolho profissão
Nasci para a vida
Viso à libertação
Também sou redimida
Transformo a dor em salvação
Especialista em ceder o perdão
Nas trevas sou luz
Em silêncio, sou guia
Que entre perigos conduz
 
Sou de fácil denominação
Basta sentir o meu sentir
Não sou AMÉLIA
Nem DAMA tento ser
Também não sou a flor
CAMÉLIA...
Apenas mulher de verdade
Visando a felicidade
Em qualquer sentido ou lugar
Mesmo na sociedade
Gostaria ser tratada
Apenas com dignidade...
 
Ideais?
Será que os tenho?
Mas, um nome?
Preciso ter!
Poderia ser competência
Sobrenome?
Quem sabe, eficiência...
Porém, prefiro ser
Denominada apenas...
MULHER
 
Autoria: Ilka Bosse
Bailarina das Letras
DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS
>>> ilka.bosse@terra.com.br <<<


SOU...
 
Sou...
a filha da noite
que uiva entre as rochas
qual loba faminta
querendo ser amada.
 
Sou...
sozinha
no deserto da vida
procurando companhia
em busca de alento.
 
Sou...
uma alma cansada
que persegue seus sonhos
em busca
do amor ideal.
 
Sou...
escrava do amor
que anseia
por um ideal de amor.
 
Sou...
o fantasma
desse amor adormecido
que quer despertá-lo
com suas carícias.
 
Sou...
a mulher vivente
que busca
saciar seus desejos
na fonte do amor
e que anseia
realizar a concretude
do seu amor
ao lado do sonho perdido
mas que acredita
na força da paz interior.
Neida Wobeto
(047) 9101-5417
..*..


sou

Cega para o que não quero ver.
Muda para o que não quero falar.
Surda para o que não quero ouvir.
Sem pernas para chegar a lugar nenhum.
Destinada a ser mais uma nessa multidão de desumanos.

(Denise Aidar Warnecke)
..*..


Sou assim...
Tarcísio R. Costa
 
Sou um ser racional,
dotado de sentimentos,
que percorre um caminho indefinido,
como as dúvidas e as controvérsias
Ou um emaranhado de contradições...

Acho que a alegria é boa, mas efêmera,
Por isso, pode transformar-se em tristeza
E virar ilusão.

Se me invade a tristeza, não dou muita atenção.
Penso que, como a alegria, também me deixará,
Acho-a sem sentido.

Se o amor se tornar um objeto de preocupação,
Como tenho medo de paixão,
Fico prevenido.

Se a saudade me deixa entristecido,
Sei que a sua causa é a ausência
De um amor perdido.

Assim, vivo minha vida repleta de confusão.
Situo-me entre o certo e o errado,
Num viver de contradição.
 
Mas, como racional, sou emoção...
da presença de um amor,
de um olhar de saudade,
de quem recebe uma flor,
do alívio de uma dor,
de uma lágrima na face,
de um filho que nasce,
de uma de jura de amor...
sou a emoção...
de um suspiro de saudade,
de uma declaração de amizade,
de um amor ressuscitado,
da procura do amor...
 
Tarcísio Ribeiro Costa
..*..
 


EU SOU

Tudo assumo.
Até a minha humanidade.
E penso quando vôo
Em busca da beleza, e
Da minha criatividade.
Sou amante, mãe e profeta
Sou etérea, divina e poeta.
Escrevo
O ideal dos sentimentos.
Sou toda amor,
Porque o amor é a essência
Do Divino.
Escrevo com a alma
Com a quintessência
É um processo repousante
Que rompe em aleluias!
Que alegria!
Repasso então para
meus versos.
A alegria é tanta que
Meu coração solfeja e canta
Cheios de beleza que
Minh´alma encanta.
Óh doce mistério da vida!
É de ti que vem o que
amo e exulto.Quando escrevo
Vem um grande crescimento
Para a alma e o corpo.
Porque a poesia vive
Em mim, e
Tenho as mãos sempre
Cheias de beleza.
Sempre sou capaz de
Compreender o sentido
Das mensagens:
Quintessência,
Porque EU SOU!
Escrevo o desejável
E o explicável.Não tenho dúvidas
Em nenhuma hora
Duvidarei da
VERDADE
Que é minha!
Fruto da reflexão
E da plenitude.
Todas as mensagens que
Trago à luz do mundo,
É essencial, ativo e fecundo.
Tudo é importante
Tudo é semelhante
Ninguém e nada
Supera o nada,
Porque o nada tem
O seu muito.
A minha lua é
Amante do sol,
E amiga da terra.
É linda e mágica
No que vejo,
E além dela.
Não existe trevas
No mundo em que
Vivo.
EU SOU!
Tenho a minha verdade
Sou ave lúcida voando
Com raízes, mas
Voar...voar...sempre voar

susana petraglia kovalczuk
..*..


Soy

Soy estas manos que ves agolpándose
Soy un manojo de trigo cortado
Soy esta voz que oís al leerme
Soy un cansancio entusiasta  en la noche
Soy el hechizo que buscas en mi almohada
Soy la canción que cantamos un día
Soy este sueño pensado  de a dos
Soy esta marca que queda en tu piel
Soy este hueso que difícil de roer
Soy esta mueca que dice que no
Soy este viento que vuela en mis pies
Soy ese  norte que pierde la brújula
Soy esta imagen que empezó a envejecer
Soy esta risa que suena a café
Soy esta amiga que esta junto a vos
Soy esta huella en mis hijos que van
Soy este tiempo y soy una mas.
miriam

..*..


EU SOU AQUELE


Eu sou aquele que vacila!
Aquele que se perfila,
entre o começo e o final!
A dúvida entre dois pontos,
de encontros e desencontros,
neste mundo intemporal!
 
Sou molécula perdida!
Sou um pedaço de vida,
 em busca de um outro Ser.
Sou do sonho o pesadelo...
Sou carinho, sou desvelo,
sou vontade de viver!
 
Sou do amor, o ciúme.
 Sou de uma flor o perfume,
seu aroma delicado.
Sou aquilo em que acredito!
Eu sou do amor, o mito,
 por Vénus idolatrado!
 
Sou pecado, fantasia!
E até sou por ironia,
cupido do nosso amor!
 E neste viver sem nexo,
nós somos amor sem sexo,
somos chama sem calor!
 
Nós somos barco sem rumo.
Nós somos nuvem de fumo,
impelida pelo vento.
Somos tempo sem idade,
e embora sem mocidade,
nós somos ais, sem lamento!
           
Alfredo dos Santos Mendes
..*..


"Sou"

Sou tantas facetas
entrelaçadas na mesma alma
criada para tudo enfrentar,
lutar e superar,
sem nunca perder
a dignidade de viver...
Sou mulher batalhadora
que busco unir ternura e compreensão
à integridade e à paixão...
Luto por ideais!
Acredito no meu "irmão"...
Confio ainda na vida
que nos encontrará em união...
A lição nos foi passada
há mais de dois mil anos
Depende de nós,
apreender e vivenciar tais ensinamentos,
nos responsabilizando
para servirmos de exemplo...
Juntando sentimentos
vividos em emoção
é assim que me descrevo
com muito amor no coração...

Lúcia - lms
(04/03/07)
..*..



Eu, sou poesia
Sou Céu e mar
Sou Lua, Sou Sol
Sou tudo o que eu quiser
Pois eu sou Mulher!

Eu, sou o princípio
Eu sou o fim
Eu celebro a vida
Que só eu mulher
Trago dentro de mim!

Eu, sou amor...
Eu sou Paixão
Sou deusa,
Sou música
Que brota do meu coração!

Eu, sou parte do Universo
Sou estrela ou constelação...
Eu sou  rima de um verso
Que faço e partilho e ofereço
Com estes que aqui estão!

Eu...sou tudo!!!

Chicailheu
Terceira-Açores- Portugal
..*..


EU SOU
Antonio Cícero da Silva

Faço parte da natureza
Sou um simples grão de areia
Que vive a vagar
No mundo a ti procurar.

Eu sou um investidor
Na vida procuro sempre progredir
Com sinceridade e boa vontade
Ao lado da minha majestade.

Eu sou um sonhador
Vivo por você a muito sonhar
Quando dormindo e até acordado
Na realidade sou um homem apaixonado.

Sou mais que amigo fiel
Parece até que vivemos no céu
E em perfeita harmonia
Vivemos sem nenhuma porfia.

Eu sou quem a você abraça
Com muito amor e carinho
Que te ama e te deseja
Você é a minha realeza...

..*..


Anjo ou demônio?
*Emiele*

Abro as portas da minha casa para entrares.
Abro meus braços para te abraçar.
E minha boca pra de amor falar.
Fixo-me em teus olhos para tua alma captar...
Aguço meus ouvidos para pacientemente te escutar...
Escancaro meu coração pra te receber, aconchegar...
E ainda ofereço meus ombros pra te consolar
quando quiseres chorar...

Assim permanecerei contigo em cumplicidade e sintonia
numa sincera e digna amizade, por anos e anos a fio.
Pois cultivar minhas amizades é algo que muito aprecio.
Ah, mas se te descubro um ser indigno
de minha sincera, desinteressada e desarmada acolhida,
e de mim abusar, trair ou me desrespeitar,
chego no limite da intolerância.
Armo-me contra ti de todo jeito!
Mostrarei que corre sangue ardente em minhas veias.
E que também tenho um coração sensível no peito.
Deixo vir 'a tona todos os meus defeitos!
Falo-te todas as verdades engasgadas.
Libero meus cães atrás de ti a ladrar.
Solto meus dragões no teu encalço, cuspindo fogo!
E bato a porta na tua cara, enxotando-te sem dó!
Fugirás em debandada 'a procura dum lugar seguro
para de mim, esconderes,
e arrependerás mil vezes da tua mesquinhez.
Quase sem fôlego me desconhecerás...
E desaparecerás da minha vida, de vez!

Sem receio nem remorso,
faço em nossa relação um corte.
Dou-te meu Atestado de Óbito.
E pouca gente saberá da minha intolerância, a razão.
Recolho-me, e faço do silêncio minha oração.
Pois o silêncio é por vezes meu melhor conselheiro.
E quem sabe um dia te ressuscitarei
depois de te deixar no meu obituário, prisioneiro?
E se porventura isto acontecer, estou certa,
que também ressuscitarei dentro de ti.
Reconhecerás que pessoa dócil, sincera,
desarmada e crédula tal como sou,
não anda por aí ao léu...
E esquecer o mal que me fizeram, é dom e virtude.
E é o maior presente que ganhei do céu.
Ao te desculpares, terás o meu perdão.
Passarás a me respeitar e me aceitarás assim.

Há quem pense que sou quase um anjo...
Quem assim pensa, quase anjo também deve ser.
O Bem e o Mau têm de viver dentro de nós em harmonia,
mas transvisto-me em demônio num passe de magia
quando alguém ultrapassa os limites
da minha credulidade e tolerância,
e abusa de mim com ousadia!

Belo Horizonte, 13/12/2004 - 11:50 horas.
Direitos Autorais Reservados.
..*..


Sou
 
Sou,e isso não significa,
Que sou tudo que julgo ser,
Tenho dúvidas ao pé da bica,
Da fonte inesgotável do saber.
 
Sou sem ser,porém pretendo,
Ser melhor nesta existência,
Elevar-me além do Sou,
No nível de consciência.
 
Tenho sido pretensioso,
Reles, mesquinho, lascivo,
No Bem,Sou mesmo ocioso,
Pelo ócio, no acaso vegeto vivo.
 
Que adianta dizer que Sou,
E ao consultar o Eu, profundo,
ELE me questiona, o que vou
Fazer pra melhora do mundo?
 
Oh Deus, que seja meu pensamento,
Usar as ferramentas de que disponho,
Para dilatar o conhecimento,
E dizer eu Sou ,o que tanto sonho.
 
Então serei, não tenho sido.
Do que fiz, é efêmero tudo,
Para dizer Sou ,eu SOU,
É melhor permanecer mudo.
 
Manuel Jorge Monteiro de Lima
..*..


Sou assim
 faffi...
        
Sou assim:
 Um pouco de tudo...
   Um pouco de menina
 Um pouco de mulher
Um pouco  delicada
 Um pouco  malcriada
Um pouco discreta
 Um pouco atrevida
 Um pouco de poeta
 Um pouco de moleca
 Um pouco doce
Um pouco amarga
 Metade de mim está no direito..
A outra metade está no avesso...
Meu lado direito é claro
Meu lado avesso é obscuro
Meu lado direito pede a razão...
As vezes sou como uma folha caída levada pelo vento...
  Outras, sou como uma árvore frondosa que não se abala com nada...
Sou pobre e sou rica
 Sou  derivado de mim mesmo
 Uso adjetivos para me modificar...
Do verbo só tenho  a palavra...
Uso pronome quando não quero me identificar
Sou uma divisão exata de mim.

faffi /Silvia Giovatto
..*..


Sou...Habitante
Sou Habitante distraída
nesta terra concebida
fecundada pelo amor
num despique , ganhei a corrida.
Nasci num dia de Inverno
chorei de alegria,
 bebi leite materno
dei-me o direito da flor
fui pétala num jardim etéreo.
Cresci numa primavera da vida
sorri a quando da missão cumprida
agradecida,
 Orei ao Senhor...
pela Graça e pela derrota, nunca vencida
Procuro o Verão deste caminho
sou como a ave no seu ninho
ou como o rouxinol cantor
no meu arvoredo de muito carinho
Vivo a vida e neste cantinho
encontro estações de mim
em pergaminho
Cecília Rodrigues

 

..*..


Sou
Terno bailado

Eu nem sequer sei quem sou
De onde vim p’ra onde vou
Só sei que sinto um prazer
De meus versos escrever.

E não pensem mal de mim
Pela escrita ser assim,
Pintada de sentimento
Terno bailado de vento.

E eu não sei quase nada,
Vou à solta pela estrada…
Meu sonho é uma constante.

Deixo pétalas do nome
Espinhos no sobrenome;
De poemas sou amante!

Rosa Silva ("Azoriana")
 

..*..


SER
 
Quem sou? Como e onde estou?
Sou hoje? Sou ontem? Sou o amanhã?
Ocupo-me com o presente ou com o que passou?
Melhor pensar o futuro, encontrar o talismã?
 
Perguntas que brotam da essência do ser pensante,
Que nasce, que cresce, que envelhece, que adoece e morre.
Só a alma não desaparece, apenas uma constante
De ir e vir, dar conta da missão já é o bastante.
 
O corpo, que é efêmero, aos poucos mostra o cansaço.
Presa dos limites naturais trazidos pelo avanço da idade,
Vai dobrando, carcomido pelo peso dos anos, passo a passo
Caminha na direção da luz, no portal da eternidade.
 
Troco o dia pela noite e vice-versa, contrário à natureza
Do que parece normal; só quero viver livre e acordado
Para desfrutar do que é belo, atento, crente na certeza
Do amanhã não me surpreender recluso e desolado.
 
Sou o que sou; o hoje é o reflexo do passado
Jamais ignorado, base sólida construída com cuidado,
Cultivada com apreço, lume aceso, segurança no escuro,
Aguça a crença, leme firme da esperança no futuro.
 
Alceu Sebastião Costa
..*..


SOU...

Alguém que ama, que chora, sofre e ri
Que adora liberdade, odeia impunidade
Acredita no ser humano, corre da maldade
Da infância distante, sente saudade.

Adora poesia, detesta água fria...
Gosta de música, arte, cinema, teatro
Da madrugada, da noite, da boemia
Da conversa de bar, não existe melhor lugar.

Que escreve, se esforça e se lança
Naquilo que aumenta o prazer de amar.
Nem sempre o que faz é firme, balança
Mas caminha sozinha no mundo a sonhar.

Sou quem ama Carlos Drumond que tinha uma pedra no caminho;
Que se encanta com o Guma do Jorge Amado e o amor da Zélia.
Chora com as canções do Gonzaguinha, de se perder, de se achar...
E com a mulher rendeira do Gonzagão que ele ensina a namorar.

E em certos dias quando penso em minha gente,
trago o Vinicius na mente, e sinto assim todo meu peito se apertar...
Pasmo com a poesia da Florbella Espanca que lê no misterioso livro do teu ser,
a mesma história tantas vezes lida.

Amo Cora Coralina, que fazia poemas de amor tão meigos,
tão ternos, tão teus... Não sei... se a vida é curta...
Sou o Enigma de Clarice Lispector quando penso
Que tenho várias caras. Uma é quase bonita,
Outra é quase feia. Sou um o quê? Acho que um quase tudo, talvez.

Ando no rastro dos poetas, porém descalça
Quero sentir as sensações que deixaram por aí.

Canto as canções do Jobim e vejo o Corcovado,
o Cristo Redentor, a garota de Ipanema...
Como João Bosco e Aldir Blanc, procuro Henfil num rabo de foguete...
Vejo um bêbado com chapeu-côco que me lembra o Carlitos.

Meu coração bate outra vez com a esperança do Cartola
E volto aos jardins para me queixar com as rosas
Fico em silêncio porque as rosas não falam,
exalam, simplesmente, o perfume que roubam de ti...

Do Mário Quintana, meu amado, existe um "Bilhete"
Pedindo que deixe em paz os passarinhos
Porque, se me quizeres, não gritará nos telhados
Me amará em paz, devagarinho, baixinho, porque
a vida é breve...vocês passarão e eu passarinho.

Enquanto isso, gritas em meus ouvidos e nada dizes
Deixa de me amar e faz meus dias passarem tristes
Entoa cobranças, me tira a esperança
Faz a vida mais do que breve, faz a vida vazia.

E Como Cecília Meireles, eu sou.
Em seu poema "Motivo da Rosa" ela ainda não sabe quem é, e diz assim:
" Se eu nem sei quem sou,
como posso esperar que venha alguém gostar de mim?"
 
(Poema intitulado: QUEM SOU EU?  - HOMENAGEM AOS POETAS)
 
MEG KLOPPER
(Amália C. Klopper)
..*..
 


No me preguntes quien soy…
Puedo ser la viviente esencia
de una suave oración...
O el lúgubre aposento
de una prosa con dolor.
No me preguntes quien soy…
Puedo ser el cáliz
de suaves caricias
derramadas sobre tu piel.
La calma.
La tormenta.
O la hiel.
No me preguntes quien soy….
Puedo ser los vestigios de una historia
que busca refugiarse en tu gloria…
O quizás la impetuosa fantasía
que suele morir al despertar el día.
No me preguntes quien soy.

© Noris Roberts
 
Não me perguntes quem sou…
Posso ser a vivente essência
de uma suave oração...
Ou o lúgubre aposento
de uma prosa com dor.
Não me perguntes quem sou…
Posso ser o cálice
de suaves carícias
derramadas sobre tua pele.
Acalma-a.
A tormenta.
Ou a fel.
Não me perguntes quem sou...
Posso ser os vestígios de uma história
que procura refugiar-se em tua glória…
Ou quiçá a impetuosa fantasia
que costuma morrer ao acordar o dia.
Não me perguntes quem sou.

© Noris Roberts
..*..
 


Quem sou?
Candy Saad

Sou uma criança
meus olhos brilham  quando olho
o horizonte da esperança
de amar e ser feliz

Sou uma adolescente
Quero ser diferente
preciso de segurança
Nem sei porque

Sou muito carente
 esse monstro me persegue.
nasceu junto ou foi adquirido ,não sei...
preciso priorizar meus valores

Sou muito adulta
tenho muitas responsabilidades
As vezes pesa de verdade

Sou uma santa
carrego amor por onde passo
e distribuo pra valer

Sou amada
Na cama para meu homem
 sou  depravada

Sou manhosa
Mio depois de fazer amor
Como uma gata no cio

Sou valente
Vou de peito enfrentar
e as dependências derrubar

Sou sensível
quero o refugio de um colo
com direitos a muito dengo

Sou ousada
meu combustível é o desafio
O desconhecido me atrai
não sinto medo de nada

Sou forte
Busco forças Nele
Nada me derruba
quando quero vencer

Sou frágil e delicada
um beijo na boca
e minhas pernas falham

Sou???
Quem sou?
Sou apenas uma mulher!
..*..


SOU

Sou árvore
cujas fortes raízes
rasgaram a terra,
nela se aprofundaram
e dela tiraram
o humus da vida.

Sou água
que matou tua sede
quando, sedento
procuraste a paz,
e nos meus braços
encontraste guarida.

Sou o ar que respiras
que enche teus pulmões
quando aspiras
uma vida sadia
que queres ofertar
à tua musa querida.

Sou o vento que embala
a rede dos sonhos
e agita as folhas
que cobrem e dão sombra
quando descansas
de tua férrea lida.

Sou ave que voa
e alcança as alturas
e faz diabruras
no azul do céu.
Mas se me atacam,
sou "fera-ferida"...

Sou, sim, sou tal qual
a mãe natureza.
Então não cries
jamais, entre nós,
um túnel cruel
sem luz ou saída.

Leda Galvão
..*..


Sou... Letargia?
Malu Mourão

Por que estou aqui?
O que sei de mim?
O que faço da vida?
Simplesmente vejo passar,
O tempo que escoa.
Estática... Sombria...
Assim a pensar...
A vontade invertida
Que o sentido atordoa.
Será que me adiantaria,
Um grito no ar?
Não?
E onde fica a razão?
Perdida, sofrida,
Escondida no coração,
Um coração que entoa,
Uma canção sem alegria,
Numa letargia.
E eu estou aqui.
Nada sei de mim.
É assim... É a vida.
..*..


Sou...
(Sandra Lúcia Ceccon Perazzo)

Voltando, recomeçando
com histórias para contar e encantar
 o coração de quem só sabe amar...
 Tenho na alma muitos corações
 Sou inspiração dedilhando imaginação
  Falando apenas com a emoção
Construindo ilusão
Despertando paixão
Com pureza, com delicadeza
 Sempre com boa intenção
Ainda que meio levada, danada
sapeca e até mesmo um pouco safada
 Sem qualquer receio me crio e recrio
no despertar de cada manhã
Sou sol, sou lua, sou chuva, sou brisa
Sou vento, sou furação, sou maremoto, sou vulcão
Sou também noite fria
Sou estrela que brilha
Sou orvalho que chora
Sou ternura que namora
Sou doçura que acolhe
Sou punhal que fere
Sou dor que machuca
Sou esperança, fé e confiança
Sou menina, filha, mulher, mãe e amante
sempre confiante
Sou alegria, sou tristeza
Sou tudo que sou
Sou tudo que não sou
Sou ainda tudo que fui e que serei
Por isso que nasço e renasço
Faço e desfaço
Pois sou apenas um espírito
vivendo o humano que há em mim
 Aprendendo saio pela vida
embalando todos os amores
que tive, que tenho e que terei
Embalo ainda os amores que nem sei
de quem são
mas são amores assim
como os seus
como os meus...
Pena que ainda nem todos compreendem
uma alma com muitos corações
e o que fazem apenas é
julgar, criticar, rotular e condenar
Não sabem o que sentem nem o que são
Querem apenas invejar
quem consegue mesmo que sem sentir
despertar o amar e o sonhar
Por isso eles não têm histórias para contar
porque vivem apenas o egóico que neles há
Ainda não perceberam a gostosura
que é sonhar e amar!

Sandra Lúcia Ceccon Perazzo
27/02/2006
..**..


GUERREIRA
FÁTIMA VENUTTI
 
Corre, corre...
Acorda cedo, filhos pra escola,
Trabalho, pega filhos, carinho...
Correria caseira, deixa filhos,
Ausência... saudades... descanso.
Descanso?
 
A vida sempre lhe trouxe a luta.
Poucos sonhos mutilados,
Outros tantos engavetados
Brotou a árvore, gerou seus filhos,
Sua vida é seu próprio livro
Mas no fundo, quer mais.
Sempre mais,
 
Mais do que essa vida quer lhe dar?
Questiona. Duvida. Desconfia.
Mas sempre, indiscutivelmente.
Mulher. Humana. Carente
Tantos sonhos mutilados,
Muito mais engavetados.
 
Guerreira...
Eterna águia a planar os sonhos,
Navegar em seus planos,
Encontrar seus amores.
Paixão...
Guerreira...
Mulher Guerreira...
 
Blumenau/ SC
..*..


ASSIM... (SOU) e VOU
 
Desde a infância as PALAVRAS me (en)cantam
e produzem em mim a calma
não sou poeta, mas as vezes
derramo a minha'lma.
 
Sou amante do VERBO
que a verdade preconiza
e através de nós a ação realiza.
 
Expostos à crítica sempre estamos,
mas como aprendiz continuamos.
 
Maria Loussa
Goiânia-Goiás
..*..

 

PORQUE SOU ROMÂNTICO
Marcial Salaverry
 
Como romântico, sou exceção...
Não resisto a uma emoção...
Exponho meus sentimentos...
Por um amor, tudo enfrento,
E isso não lamento...
Creio em esperanças...
Em sonhos risonhos...
Guardo boas lembranças...
Tenho meus sonhos...
O passado é esquecido...
O presente é vivido...
O futuro é o porvir...
Vivo com paciência...
Abomino a violência...
Sonho com uma utopia...
Vivendo cada dia...
Minha espada, de flores é feita...
Portanto... a mais perfeita...
Minha arma é a mais sã...
Só atira balas de hortelã...
Gosto de sentir emoções...
Gostosas sensações...
E de emocionar corações...
Vivendo com romantismo...
Com maldades não cismo...
Quero apenas o amor viver...
Com meu amor conviver...
Tenho necessidade,
De sentir felicidade...
 
Marcial Salaverry
Proteja os direitos autorais
..*..

 

Sou...

Menina faceira
Melindrosa, carinhosa,
Verdadeira.

Sou amiga companheira
Sou parceira.
Amo a vida
Sou amante.

Suposta independente
Sou guerreira.
Afinal de contas
Sou mulher.

Gero vidas
Sou a escolhida.

Gildete Vieira.
Natal, 10/03/2007.
..*..


 
SOU...
 
Às vezes sou o sol,
outras, sou a lua...
Apaixonada pelo viver e sonhar,
vivo intensamente essa contradição.
 
Sou sol... Sou lua...
Quando estamos unidos,
quanta revelação !
Juntos, vagamos...
 Inspirando corações apaixonados.
 
Desta minha objeção,
Sinto-me em constante exaltação !
 
Nas noites frias,
Sou um barco sem rumo,
flutuando pelas águas da vida !
Nos momentos assim percebidos,
procuro a bússola dos sentimentos,
sempre ela...
Minha eterna conselheira... 
Para revelar-me o caminho perdido.
 
Confusa na elucidação,
aporto o meu ser
a procura de amparo
a minha incessante solidão.

Deparo-me com o sol,
que torna a abrilhantar o meu ser,
acalma o sentimento naufragado,
restituindo o sentido do meu viver !
 
Socorro Lima Dantas
Recife/PE
10/03/2007

..*..



Sou...
 
Sou o cisquinho de teu olho,
o farelinho de pão,
o açúcar por fora da xícara.
 
Sou a pedrinha da calçada
a folhinha da árvore,
a estrela perdida, mas por ti encontrada.
 
Sou o borrão do papel,
o giz quebrado,
a tampinha do refrigerante.
 
Sou a passagem usada,
a caneta estragada,
o papel em branco.
 
Sou a sobra da cola,
o selo torto do envelope,
o papel colado.
 
Sou o pingo da chuva,
a gota de suor,
o escorrer da lágrima.
 
Sou o vento,
A chuva,
O frio.
 
Sou quem te chega
Sem que vejas
E quem te abraça.
 
Sou quem te busca,
Quem procurou,
Somos quem nos encontramos.
 
Sou tua alegria, tuas esperanças.
Sou tudo isso e tudo mais.
Sou apenas...
O teu amor!
 
Autora Vera Salbego
D.A.Reservados
..*..


Sou
Mercília Rodrigues

Que te acolhe ao cobrir-te a noite !
Nos dias sombrios sou-te a esperança .
Sou-te o brilho  nos dias de açoite.
Do bem supremo sou-te a aliança !

Sou-te o guia em rumos perdidos,
Sou-te a mão que teu olhar descerra.
Sou-te a  nobreza ante os vencidos
e  a sabedoria que a vida encerra !

Faço-te crescido em amor perfeito.
Faço-te anjo a velar estradas.
Faço-te saúde a adormecer no leito.
para curar a dor e liberar as chagas !
mercília.rodrigues@terra.com.br
..*..


Procurar compreender-me
é verdadeira luta.
Sou um mistério!
Sou um enigma!
De onde vim?
Para onde vou?
É um mistério maior ainda...
Quem sou? Mísera partícula
nesse mundo sem fim,
mísero átomo que,
diante de tantos outros,
não fará falta.
 
O que sou? Um nada,
que tem um mundo intraduzível
diante de si,
 que, sendo nada,
não sabe o que é o nada...
 
O que busco? O infinito
concreto e determinado...
E volto ao ponto de partida...
 
Sylvia Narriman
..*..


SOU ISTO E AQUILO
Sueli do Espírito Santo


Sou a alegria, sou a tristeza
da amargura, sou a ternura
que vem de minha brandura
sou a dúvida, sou a certeza

Na fragilidade toda impotente
murmurando meus queixumes
mas na escuridão busco lumes
 sou a coragem toda imponente

Sou isto e mais aquilo, um tudo
valoroso em um cofre de prata
às vezes um nada, meio chata
e ainda eu me amo sobretudo

 ..*..


SEI LÁ QUEM EU SOU
Sá de Freitas

Sou um enigma e já não sei quem sou...
Não sei se sou vento errante,
Rio caudaloso ou apenas riacho;
Pedra na estrada,
Estrada com pedras,
Sei lá quem eu sou...
Lua sem céu,
Sem azul, sem estrelas,
Um rumo sem meta,
Ou  meta sem rumo...
Sei lá quem eu sou.
Meus gritos ecoam no deserto,
Meu olhar se perde no incerto,
O tempo apaga meus versos,
Meus versos que ninguém lê...
Sei lá o que fazer...
Sei lá quem eu sou.
Hoje é um dia
Que não quero saber...
Saber o que sou.

Sá de Freitas
..*..


SOU APENAS EU

Não sou constante
sou mutante
não gosto do igual, prefiro as diferenças
minha maior fé é respeitar todas as crenças
Ora sou dia irradiando luz
ora noite escura sem luar
vou onde meus passos me levam
se há um final quero chegar
Não tenho medo de nada
mas essa ausência do medo
às vezes me dá medo de tudo
ora sou mar calmo navegável
ora, a ira de um maremoto assustando o mundo
Sou o que sou
sem pensar o que o mundo quer de mim
fui começo de um caminho
hoje sou o meio
observando como se chega ao fim
 
Célia Jardim
..*..


SOU COMO O REGATO
Rogério Martins Simões

Sou como o regato,
Que brota,
Que jorra
Que vai por aí.
Onde a minha alma me entrega
Por onde a minha alma me encontre
A paixão confunde
Desespera
Cega
É triste ver partir quem se ama
Mais triste é viver sem amor

Um raio de sol deitou-se no meu leito
Todavia é livre
Por isso dizem:
- É o mais belo amante das estrelas.
28-03-2005
..*..


Sou!
 
Sou filha, sou irmã!
Como amiga, sou fiel,
Do bem? Sou uma fã!
E do mal? Sou como o fel…
Sou força, sou coragem!
Sou mulher! Meu nome Glória
Ser Glória, é uma vantagem.
Porque sou! Mesmo sem vitória…
Ora sou triste, ou feliz,
Alegre ou sou contente,
E não é porque alguém diz,
Sou assim, porque sou gente!
Sou uma mãe viciada,
Dos dois amores da minha vida,
Dei-lhes tudo, em troca de nada,
Mas tenho a contrapartida!
Sou amante da poesia,
Dou-me bem com a verdade,
Para viver em harmonia,
Faço qualquer atrocidade.
Sou o que sou! Não mudei!
Sou assim porque sim,
Sou assim porque sei,
Que é como gostam de mim!!
Se o sonho comanda a vida,
Eu vivo a vida a sonhar…
Não sou uma vida perdida,
Sou gente e quero amar!
Amar sonhar com a natureza,
Apreciar cada instante da vida,
Agradecer a Deus toda a beleza,
Que nos oferece sem medida…
 
Glória Febra
..*..


Sou...
Iza Mota

Sou o que reflete meu sentir,
busco sempre mais de ti que
entusiasma o meu existir.
Sou atrapalhada nos atos
dengosa, manhosa de fato e
espero aplausos pro que faço.
Sou sonhadora... Preciso de
liberdade de falar, escrever, pensar
para estes sonhos realizar.
Sou ainda criança que chora
com medo, escondida, calada
e espera nos braços ser aninhada.
Sou apaixonada, amo intensamente
mesmo que não seja permanente
vivo este amor loucamente
Sou romântica, entrego-me inteira
e busco no meu amor carinho,
entrega e cumplicidade verdadeira.
Sou mulher de meia idade
que quer ser e fazer a quem ama
 feliz de verdade

Iza Mota
Recife-PE
..*..


SOU ASSIM...
Rosi Marques
.
Sou a essência do sentir,
sensibilidade aflorada do SER aprendiz.
Meus pensamentos são sensações,
vibram expondo emoções.
Sou transparência que há na decência.
Acredito que todos podem ser assim,
 em qualquer situação,
 no início, meio ou fim.
Não sou dona da verdade,
participo do time da honradez,
princípio da lealdade e amizade.
Parte de mim parece turbulência
que há na grande tempestade;
e outra parte, igual à brisa suave.
Sou aquela que indagam ao vento como sou,
ele canta respondendo:
Às vezes assemelha-se a suavidade da flor,
quando ferida, um animal que só sente dor,
luta como guerreira, se necessário for!
Perguntei às crianças com quem sou parecida.
Responderam-me:
Com ingenuidade de nossa inocência,
por não sermos gente crescida!
De meu lado criança não abro mão,
por nada desta vida!
Indaguei minha consciência: quem e como sou?
Ela gritou, anunciou que sou só a Rosi,
mulher que busca enriquecimento de seu SER,
abominando a supremacia do TER.
Amo o amor, a paz, justiça, respeito, amizade,
igualdade, lealdade, integridade e a vida.
Sou assim!...Não sei se sou muito querida,
sei que amando, perdoando e aprendendo,
sinto-me "gente"...Sigo em linha reta nesta vida!
Procuro ter sempre alma enriquecida!

 Rosi Marques
SC/14/03/07
..*.. 


Eu Sou
José Ernesto Ferraresso

Aquele que aceita a vida como ela é
Sem ao menos pensar nela todos os dias
Parte de mim é compreensão,
Outra parte de mim é puramente razão.

Sou algúem que quando perde sabe compreender,
Quando é derrotado consegue sobreviver
Quando erra tenta entender
Quando conquista sabe agradecer .

Aquele que acredita em um Supremo Ser
Que rege esse mundo e nos faz crer
Que sempre aprendemos saber perder
É Ele que nos faz aceitar e entender .

Uma parte minha é angústia
Outra parte minha é só alegria
O que não deixo de acreditar
É que por Ele consigo conquistar.

Serra Negra
14/03/2007
..*..


SOU
Gui OLiva

Sou...só sei que não sei
de que lado estou e para onde vou,
Sou da casa dos sessenta  e sou criança,
sou da economia e da gastança

Sou doce...como o doce de batata doce
mas quando menos quero sou amarga,
se pacifista diplomada eu não fosse,
fácil... empunharia contra injustos
uma adaga

Sou argumentação...mas falo irada,
Sou rio correndo
para o  encontro com  o mar,
 indo célere e assim  amo apressada,

mas sou também lagoa...mansa...descansada
e  num estágio letárgico  a esperar,
que chegue alguém para vir a mim
e com amor se banhar

Sou conciliação e sou de apontar questão,
e fazer questionamento
quando penso ter razão,
sou um tempo de muitas horas,

mas sou também momentos de segundos,
sou do passado décadas e do futuro nada,
sou o presente antes de ir de vez embora
sou riso solto, gargalhadas
e também sou choro de enxurradas,
sou paciência de montão
mas quando a perco sou explosão

sou amiga da verdade, irmã verdadeira,
e sou também do me recolho e me afasto
se recebo rasteira

sou musical do canto, da dança
e no contracanto e na contradança o piano
é  o instrumental que sou

sou redescoberta permanente, constante e
sou conformação com sonhos distantes

Sou a poesia livre na abordagem
mas, até pouco tempo, me faltava coragem
para esparramar o que escrevia

Sou, sim, sem saber ou  sabendo
quem sou? para onde vou?
mas  sei que aqui estou e,
tentando responder quem sou,
fui dedilhando e me conhecendo!

Santos 10/03/07
..*..


Sou?...
Regina Coeli Rebelo Rocha
 
Sou tanto... e sou nada
Sou porta fechada
Que se abre docemente
Sou porta escancarada
Que se fecha subitamente
 
Sou  tanto... e sou nada
Sou um grito na garganta
Preso e trancado, travado
Sou um berro desvairado
Que sai desavergonhado
 
Sou tanto... e sou nada
Sou o velho cansado
Saindo de cena de mansinho
Sou criança encantada
Vivendo cada minutinho
 
Sou tanto... e sou nada
Sou alguém e sou ninguém
Sou a lua que se esconde
Misteriosa, não se sabe onde
E reaparece, sabe-se lá pra quem
 
Sou tanto... e sou nada
Sou o Sol, quente e ardente
Ardo e queimo sem queixumes
Em cinzas desapareço... e volto
Aqueço, qual mãe, a semente
 
Sou tanto... e sou  nada
Sou o aqui e o acolá
Sou o beija-flor, sou a flor
Sou pássaro sem asas
Sou bem-te-vi, sou sabiá
 
Sou tanto... e sou nada
Sou parecida com a rosa
Bela? Cheia de perfume?
Não, a semelhança é no espinho
Às vezes eu machuco, furiosa

Sou tanto... e sou nada
Sou  lida que atiça
Sou noite que acalenta
Sou o ontem, sou o hoje
Sou dia que se espreguiça
 
Sou tanto... e sou nada
Sei lá eu o que eu sou
Sei lá o que eu não sou...
Sou a esperança-criança
Sou o sim
 O talvez também eu sou
 
Sou tanto... e sou nada
Às vezes sou o não
Pesado, bruto, magoado
Sou eu, sou você, sou nós
Um pouco de tudo eu sou
Em cada pessoa eu estou

Sou tanto... e sou nada
Em cada canto eu estou
Procuro, busco, fuço, cato
Explodo em amargo conflito
Não sei exato o que eu sou
 
... mas algo eu penso que sou...
..*..


Sou
 
Sou uma rosa desfolhada pela vida
Folhas secas  levadas pelo vento.
Quem me dera ser  seu porto seguro.
Sou um mar de ondas remotas
 
A sentenças gravadas em mim.
Ilusão uma saudade sem fim
Sou doce e esplendorosa felicidade
Sou Lua decrescente, que não sente.
 
No âmago do meu coração.
Quero brotar de novo e ser uma linda rosa
Sou nuvem carregada à espera do teu  amor
Tenho doce  sentimento sou preciosa
 
Sou aconchego para tua dor
Sou encantamento ternura  e temor
 Sou labirinto de emoções
Sou  como  o mar o sol e a lua
 
neidehanf
..*..


Sou
Tere Penhabe

Sou o vento que balança
as folhas nos matagais
sou a brisa que embala
as marolas do meu mar.

Sou a dor que agride o peito
a saudade que não foge
sou aquele olhar bonito
que a vida levou pra longe.

Sou o ontem e sou o hoje
amanhã não serei mais
nem o que fui algum dia
nem o que ouso sonhar.

Santos, 15.03.2007

..*..

 

 

 

 

 

 

 

 


Copyright © 2007 - Fragmentos dos Meus Sonhos - Socorro Lima Dantas
Todos os direitos reservados
Publicado: 13.01.2007
Webdesigner: Sonia Orsioll